Tag Archive: filho


Dia do Pai


O dia do Pai,deveria ser um dia que todos os Pais passassem com os seus filhos.mas há muitos que não podem por diversas razões,e é por esses que lutaremos sempre.

Feliz Dia do Pai!!!!!

O Dia do Pai é uma celebração anual que visa homenagear os pais.

O Dia do Pai em Portugal é comemorado no dia 19 de Março. Celebra-se no dia de São José, santo popular da igreja católica. São José foi marido de Maria, mãe de Jesus Cristo.

A tradição manda que seja entregue uma prenda ao pai para homenagear o pai. As crianças costumam oferecer prendas simbólicas como trabalhos manuais, músicas e poemas que fazem na escola. A família costuma reunir-se, muitas vezes com pais, tios e avós presentes, de forma a homenagear os pais da família.

A celebração da data varia de país para país. Além de Portugal, também celebram o Dia do Pai no dia 19 de março Espanha, Itália, Andorra, Bolívia, Honduras e Liechstenstein.

Origem do Dia do Pai

Existem duas histórias sobre a origem do Dia do Pai:

1. A instauração do Dia do Pai teve origem nos Estados Unidos da América, em 1909. Sonora Luise, filha de um militar resolveu criar o Dia dos Pais motivada pela admiração que sentia pelo seu pai, William Jackson Smart. A festa foi ficando conhecida em todo o país e em 1972, o presidente americano Richard Nixon oficializou o Dia dos Pais.

2. Na Babilónia, em 2000 A.C. um jovem rapaz de nome Elmesu escreveu numa placa de argila uma mensagem para o seu pai, desejando saúde, felicidade e muitos anos de vida ao seu pai.

Regras


Hoje, enquanto me preparava, para ir buscar o meu filho e em conversa com a minha advogada, aguardando pelas indicações e processos, para se ela cumprisse o que tinha dito, acerca de não deixar vir o meu filho hoje.

A minha advogada disse-me algo que me deixou um pouco perplexo e sem grande reacção, pois e como a parte, eu fiquei fã, da minha advogada, por ela ter sido a única dos que consultei, e talvez (por ter me sido passada, por um dos meus advogados que tem tratado de todo este processo e é pai de um menino do infantário do meu filho). Que me disse o quanto ela preferia estar a defender a mãe do que me defender a mim, diga-se que é este o espírito dos advogados que faz com muita coisa não seja alterada, mas não pela culpa deles e talvez não pela culpa dos juízes, mas pelas leis, mal feitas e colocadas por pessoas sem conhecimento de causa, e sem vontade de alterar algo que existe desde os primórdios.

Mas o que foi que ela me disse, questionam vocês? Bem, que eu jogo pelas regras, e pelo que esta escrito, que se ela não me o deixasse trazer, que fizesse de conta e que quando ficasse com ele, só o entregasse quando me apetecesse.

Bem,eu que por vezes até contorno os regulamentos ou regras, ouvir isso, foi de ficar espantado. Mas o meu filho, é algo que para mim, é intocável, não é uma fonte de munições, que ataque alguém, não lutei para que as coisas fossem escritas em tribunal e que o meu filho estivesse comigo em toda a sua vontade, para que agora abrisse um precedente, estranho, e não a fizesse  cumprir com o que esta estipulado, nem que fosse pela força das forças de segurança.

Ainda devo ser dos únicos neste país, que acredita, no poder legal, que apesar de reconhecer, defeitos e faltas de vontade em mudarem algumas leis, protegendo algumas pessoas e que este pais encrava sempre no mesmo sitio, também reconheço que talvez nem sempre a culpa seja dos juízes, advogados ou das leis, mas sim do poder politico que pouco ou nada faz a não ser esbanjar dinheiro dos contribuintes em obras megalómanas e que não tem grande sentido.

Reconheço que algumas leis de igualdade, são fogo de vista e que as fronteiras deveriam ser controladas, mas vendo bem, não há nenhum sistema perfeito, mas que poderia ser melhor, podia, estamos no fundo numa mini republica das bananas, à beira mar plantados, e que poucos são aqueles na esfera internacional que nos querem mal, talvez com a excepção dos bancos americanos que exploram a nossa fraqueza momentânea econômica para nos atacar.

E isso faz de nós pequenos e de mais parecidos com aqueles agricultores do interior dos anos 60, que propriamente cidadãos da Europa.

E se fizesse o que ela me proponha abria um precedente único que me poderia ela efectuar uma guerra sem precedentes com o meu filho, voltando a esconde-lo e a não o deixar vir. E esse precedente não a deixo abrir, pois pode custar mais ao meu filho que a qualquer um de nós, e isso não permito.

Mas um dia filho, tudo vai mudar, um dia filho estaremos sempre juntos, um dia filho…um dia….

Sábado


Mais um dia de sábado,e sem o meu filho,sem saber onde esta e se esta bem, principalmente porque a mãe trabalha ate as 15 horas.Ela foi sempre assim, percebo isso agora,principalmente por falar com o pai da outra filha dela.
Nunca percebemosquando nos apaixonamos. Se assim fosse,provavelmente não fariamos algumas coisas que depois ficamos tristes,sim porque o meu lema de vida é nunca me arrepender de nada,mas isso hoje em dia começa a ser difícil. De tal forma que as vezes quando ela se tenta desviar das “porcarias” que faz e tenta atirar as culpas para terceiros,os mesmos que se intitulam amigos e amigas e acabam por fazer coisas que não lembra ao diabo,como ir de férias 1 semana com uma amiga e “abandonar” 2 filhos um com 6 meses e outra com 2 anos,ao cargo de pessoa no minimo duvidosa.Ou como faz agora,deixa com pessoas que nem sequer sabem cuidar delas,nemnunca trabalharam na vida,ou pessoas que tiveram problemas com estupefacientes.Fiquei a saber nesta quinta-feira,que mesmo com uma queixa identificando os veiculos e o crime,que os agentes que autuarem os prevaricadores,podem se quiserem não entregar,ou escreverem uma queixa ao tribunal de menores,indicando que a criança ou crianças estão,ou estariam em perigo. E esta hein? Então o que seria necessário para eles efectuarem um auto? A minha questão,nem eles sabiam. Eu sei que, nem todos os sitios são iguais,mas tirando um ou outro agente que fiquei a conhecer da GNR de Fanzeres,pelas regras ou pela inércia dos agentes,pedir para efectuarem uma queixa é o mesmo que arrancar um dente a sangue frio,tão frio como o gelo dos polos.
Mas um dia filho,um dia…estaremos juntos…um dia o balde de areia,iremos utilizar e fazermos castelos de areia,um dia vamos poder ir de férias a onde tu quiseres,e viver a vida…um dia…sozinho não mudo muito,mas hei-de conseguir fazer que alguem olhe,que alguem queira saber de nós pais, que não somos ouvidos….um dia

Hoje é dia…


Hoje é dia, de estar com o meu filho, por breves momentos, é verdade, mas são esses breves momentos que me fazem feliz, que me fazem ver o sorriso de felicidade com o que o meu filho está comigo, e que se sente bem, perto do pai.

Tento o fazer esquecer que o usam, que lhe tentam transformar a cabeça e obriga-lo a ser arma de arremesso, contra mim. Não há nada nem ninguém que o faça demover de querer o pai, e isso vai fazer que um dia, ele obrigue os outros a mudar. Não quero saber se a mãe lhe rapa o cabelo, se o veste de menina, ou de palhaço, como o faz, e as fotos comprovam-no, não me importa se ela tenta fazer que ele, seja contra mim, como também o faz, e que o abandone, para ir passear com o “amigo” ou para ir  trabalhar, não sou eu que sofro as consequências, a mim só me afecta psicologicamente, em saber que o meu filho esta a ser alienado, a mim só me faz o coração tremer de medo e de ficar doente com esta situação, mas quem sofre é ele, é ele que se sente só e desamparado pela mãe, é ele que fica com traumas e sentimentos de revolta, que o fazem mudar e perceber as coisas que estão erradas. Eu para já não consigo fazer nada, para já, mas o processo no tribunal continua, e há-de continuar, até que alguém se mexa, ou até que  ouçam, o que o meu filho quer. A mim compete-me neste momento mostrar ao meu filho que a vida é bela, que a vida pode e lhe deve ser boa, pois é uma criança, não um objecto, que o pai o acompanhará toda a vida, ajudando-o a ser feliz, a poder falar de tudo comigo e de saber que não só de brincadeiras o tempo com o pai é gasto, é num acompanhamento constante e de demonstração de segurança e amor, de obtenção de objectivos que o vão guiar pela vida fora a ser feliz, a saber estudar e a saber conduzir a vida dele de forma honesta e seria, ao contrario de outras formas que lhe possam demonstrar. Não sou perfeito, nem o quero ser, quero ser sim o Pai dele, e mostrar-lhe que estou sempre do lado dele, e que é comigo que pode contar, quando o largarem. Mas tudo um dia muda…um dia filho…tudo muda… um dia…

Sexta


Na sexta, fui buscar o meu filho e tem sido um fim de semana em cheio. Cheio de brincadeiras, é de isto que mais tarde o meu e vosso filho se há-de lembrar… de todas as brincadeiras e dos bons tempos que passa com o Pai. É essa felicidade que ele se vai recordar e querer passar sempre do nosso lado.

Nós somos e seremos sempre o super-heroi deles, como diz o meu filho que tem 2 anos e meio… “És o meu Super-Herói”, e se lhe perguntar quem é que gosta dele a resposta é… “O Pai!!!”

Quem não pode gostar de ouvir isto, é o amor que é belo, é a paz que inunda a alma, sabendo que tudo está bem.

Viva o dia em brincamos juntos filho.