Tag Archive: dia



Vamos Colocando os videos com o resumo dos dias de Julgamento, de forma a acompanhar o processo e o desenrolar do mesmo.

O julgamento de António Ferreira da Silva, assassino confesso do pai da sua neta inicia-se finalmente, 20 meses após o hediondo crime,nesta Quinta-Feira.
Crime este que muita tinta fez correr, e também demonstrou que a ex-companheira utilizava de diversas amizades,para pressionar o ex-companheiro, psicologicamente.
Agora no resultado existe uma filha que convive com um assassino e sem nunca mais puder ver o Pai, por mais que o deseje.
Julgamento que vai ter um convenio de 3 juizes e um grupo de jurados, que segundo o jornal on-line iol, só no ano passado existiram 19 processos recorrendo a este sistema. ver noticia. E que além disso alguém ser convocado pra este “serviço” de jurado, tem a mesma probablidade que o euromilhões em eu ou você sermos seleccionados.
Até hoje ninguém, veio do lado da ex-companheira do Dr.Claudio, manifestar alguma coisa a favor deles, mas também como podoam, já que toda a gente viu na internet o video dos tiros a queima roupa, e muita gente viu, e a GNR, com queixas formalizadas por diversas vezes lhe terem vedado a saida da habitação deles quando este ia visitar a filha.
A toda a Familia do Dr. Claudio a minha solidariedade e que tudo corra pelo melhor.
Este será a agenda do julgamento:
Dias de Julgamento e presenças:

6 de Setembro
Leitura da acusação (e visualização do filme?)

homem-que-matou-a-tiro-ex-genro-comecou-a-ser-julgado-no-tribunal-de-anadia

7 de Setembro
Isabel e Modesto (Pais do Cláudio)
Namorada do Cláudio à data da morte, e a sobrinha quem filmou)

11 de Setembro
Celso Mendes (irmão do Cláudio)
Pedro Lemos

12 de Setembro
Arménia Coimbra (advoga, processo de família)
Modesto Rio Mendes (irmão do Cláudio)
Ana Joaquina Carriço Ferreira da Silva (Juíza drª, progenitora da Adriana, ex-mulher do Cláudio)
Nilton “Santos” (o capanga)

14 de Setembro
Modesto Rio Mendes (irmão do Cláudio)
Rosa Almeida (faleceu, depoimento escrito)
Hermínio Martins (advogado, processo de família)
Raquel Maia (advogada)

Anúncios

Dia do Pai


O dia do Pai,deveria ser um dia que todos os Pais passassem com os seus filhos.mas há muitos que não podem por diversas razões,e é por esses que lutaremos sempre.

Feliz Dia do Pai!!!!!

O Dia do Pai é uma celebração anual que visa homenagear os pais.

O Dia do Pai em Portugal é comemorado no dia 19 de Março. Celebra-se no dia de São José, santo popular da igreja católica. São José foi marido de Maria, mãe de Jesus Cristo.

A tradição manda que seja entregue uma prenda ao pai para homenagear o pai. As crianças costumam oferecer prendas simbólicas como trabalhos manuais, músicas e poemas que fazem na escola. A família costuma reunir-se, muitas vezes com pais, tios e avós presentes, de forma a homenagear os pais da família.

A celebração da data varia de país para país. Além de Portugal, também celebram o Dia do Pai no dia 19 de março Espanha, Itália, Andorra, Bolívia, Honduras e Liechstenstein.

Origem do Dia do Pai

Existem duas histórias sobre a origem do Dia do Pai:

1. A instauração do Dia do Pai teve origem nos Estados Unidos da América, em 1909. Sonora Luise, filha de um militar resolveu criar o Dia dos Pais motivada pela admiração que sentia pelo seu pai, William Jackson Smart. A festa foi ficando conhecida em todo o país e em 1972, o presidente americano Richard Nixon oficializou o Dia dos Pais.

2. Na Babilónia, em 2000 A.C. um jovem rapaz de nome Elmesu escreveu numa placa de argila uma mensagem para o seu pai, desejando saúde, felicidade e muitos anos de vida ao seu pai.

Reportagem Expresso


Ontem enquanto efectuava uma pesquisa,para um projecto meu, encontrei esta reportagem do Expresso que foi efectuada no dia 25 de abril de 2010 (dia Mundial da alienação parental).

Esta reportagem, que podem ver na integra, no link no final deste post, esta muito bem conseguido e é o melhor que tive o privilegio de ver até hoje. Não sei se alguma vez foi transmitido pela televisão portuguesa em qualquer, um dos canais, mas aplaudo esta iniciativa e interesse levado a cabo pelo Expresso.

Tentei contactar o Jornal Expresso, para pedir as devidas permissões afim de transcrever para o meu blog da reportagem, mas não obtive resposta, fica para a próxima vez, mas sigam o Link e partilhem, sejamos todos corajosos, e lembrem-se nunca desistam dos vossos filhos.

Como curiosidade, e leiam, também no site do Expresso, em diversas ocasiões, que os jornalistas tentaram contactar as mães das crianças e ouvirem o lado delas, e todas elas se negaram por diversas vezes a tecer qualquer comentário.

Reportagem:

Reportagem Expresso

Pode clicar no link para a Reportagem: Jornal Expresso

 

 

 

 

 

 

 

 


image

O Dia Mundial dos Avós que amanhã, dia 26 de Julho, se celebra um pouco por todo o mundo, vem relembrar-nos a todos a importância da família alargada na estruturação dos afectos na criança e no adolescente e em particular da sua relação com os avós.

O papel dos avós é especial, pela simples razão que só aos avós os pais das crianças e adolescentes reconhecem alguma autoridade para que eles entrem na vida dos seus filhos. E “entrar” na vida dos seus netos significa, para os avós, o estabelecimento de laços afectivos fortes, para além do direito de também acompanhar o seu crescimento e participar nalgumas das actividades do quotidiano, muitas vezes complementando os próprios pais. Não é em vão que, por vezes, se diz que ser avô é “ser pai duas vezes”. Com uma vantagem acrescida: o conhecimento dos avós, está moldado pelo que a vida lhes ensinou e que o tempo ajudou a esculpir e que eles, na sua sabedoria, transmitem aos netos com uma simplicidade carinhosa.

Os avós constituem o retrato da família alargada, do grupo, onde a criança progressivamente é integrada de forma afectivamente securizante. Os avós, preenchem também esse espaço afectivo, de autoridade e responsabilidade, que predominantemente deve ser naturalmente assegurado pelos pais.

Com os avós, a criança e mais tarde o adolescente, conhecem parte do seu próprio passado; aprendem o respeito carinhoso pelos mais velhos ou alargam o seu conhecimento temporal porque no seu espaço afectivo se cruzam e partilham saberes e valores de diferentes gerações: a sua própria geração, a dos seus pais e a dos seus avós.

A Associação Portuguesa para a Igualdade Parental e Defesa dos Direitos dos Filhos, associa-se à comemoração do Dia Mundial dos Avós, felicitando todos aqueles que neste dia podem estar juntos com os seus netos e que com eles têm uma relação próxima.

Todavia, a Associação recorda também que nos casos de separação e divórcio existem pais e mães que, consoante os casos, afastam (deliberadamente ou pelo silêncio) os seus filhos dos avós maternos ou paternos, “matando simbolicamente” um dos principais vínculos afectivos das crianças e adolescentes e, provavelmente, uma das suas principais referências de vida.

Neste dia, cabe perguntar também se é do “superior interesse da criança” o afastamento dos avós, promovido por um dos progenitores ?

Pais de fim-de-semana e avós de bacalhau (que só se vêm no Natal) têm que acabar para bem das crianças e dos seus familiares!

A Associação Portuguesa para a Igualdade Parental e Defesa dos Direitos dos Filhos já dirigiu o ano passado uma comunicação ao então Ex.mo Sr. Ministro da Justiça para uma mudança significativa nas Políticas de Justiça em matéria de Família, permitindo dotar todos os tribunais dos instrumentos necessários à resolução célere e precoce dos conflitos parentais e principalmente a implementação de uma Política de Justiça preventiva e pedagógica para com os conflitos parentais (como a mediação familiar obrigatória, intervenção terapêutica adequada, as assessorias técnicas ou mesmo uma reforma dos tribunais de família no sentido do Modelo de Cochem).

A APpIPDF chegou a solicitar uma audiência com o Ex.mo Sr. Ministro da Justiça da qual nunca obteve resposta. No entanto, nesse dia realizou-se uma iniciativa de pais, mães e avós junto ao Ministério da Justiça, permitindo uma “conversa informal” com o Ex.mo Sr. Secretario de Estado José Magalhães.

A APpIPDF tem como objectivo, nesta legislatura que agora se iniciou, levar estas e outras preocupações, bem como a exigência de mudanças institucionais, a todos os órgãos de Poder e em particular aqueles que têm uma responsabilidade directa nestas matérias.
O Paternidade Justiça,este ano,alia-se as actividades,de uma forma de momento não oficial,pois o processo de associativismo, só agora deu entrada, nas instituições,respectivas. Esperemos que para o ano,tudo esteja legalizado.

Sábado


Mais um dia de sábado,e sem o meu filho,sem saber onde esta e se esta bem, principalmente porque a mãe trabalha ate as 15 horas.Ela foi sempre assim, percebo isso agora,principalmente por falar com o pai da outra filha dela.
Nunca percebemosquando nos apaixonamos. Se assim fosse,provavelmente não fariamos algumas coisas que depois ficamos tristes,sim porque o meu lema de vida é nunca me arrepender de nada,mas isso hoje em dia começa a ser difícil. De tal forma que as vezes quando ela se tenta desviar das “porcarias” que faz e tenta atirar as culpas para terceiros,os mesmos que se intitulam amigos e amigas e acabam por fazer coisas que não lembra ao diabo,como ir de férias 1 semana com uma amiga e “abandonar” 2 filhos um com 6 meses e outra com 2 anos,ao cargo de pessoa no minimo duvidosa.Ou como faz agora,deixa com pessoas que nem sequer sabem cuidar delas,nemnunca trabalharam na vida,ou pessoas que tiveram problemas com estupefacientes.Fiquei a saber nesta quinta-feira,que mesmo com uma queixa identificando os veiculos e o crime,que os agentes que autuarem os prevaricadores,podem se quiserem não entregar,ou escreverem uma queixa ao tribunal de menores,indicando que a criança ou crianças estão,ou estariam em perigo. E esta hein? Então o que seria necessário para eles efectuarem um auto? A minha questão,nem eles sabiam. Eu sei que, nem todos os sitios são iguais,mas tirando um ou outro agente que fiquei a conhecer da GNR de Fanzeres,pelas regras ou pela inércia dos agentes,pedir para efectuarem uma queixa é o mesmo que arrancar um dente a sangue frio,tão frio como o gelo dos polos.
Mas um dia filho,um dia…estaremos juntos…um dia o balde de areia,iremos utilizar e fazermos castelos de areia,um dia vamos poder ir de férias a onde tu quiseres,e viver a vida…um dia…sozinho não mudo muito,mas hei-de conseguir fazer que alguem olhe,que alguem queira saber de nós pais, que não somos ouvidos….um dia

Dia Mundial dos Avós


Na proxima terça-feira, e associando-me a Associação para a Igualdade Parental e Direito dos Filhos, celebra-se o dia mundial dos avós, de todos os incompreendidos, esses são mais uns, pois segundo dados estatisticos, dos casos levados a julgamento, só em 1.2% dos casos os avós paternos ficam com os netos, se forem maternos sobe um pouco mais (no meu caso os avós maternos, recusariam-se a ficar com o meu filho, se algo acontecesse).

Os meus pais e avós do meu filho, vão fazendo o que podem e tem me ajudado imenso, nesta luta, apesar de todos os meus desvaneios e tentações mais auto destrutivas ou não, por tudo o que tenho vindo a sofrer, eles tem sido o meu unico pilar. E um serio modelo de vida para o meu filho, e o meu rebento adora o avó, mesmo com a doença dele, e com tudo o que já passou e com 71 anos, corre e faz tudo pelo neto, eles vão tendo sorte, podem no ver as quartas, e vem sempre o visitar quando o meu menino esta comigo. Mas existem muitos que não podem, e por eles também devemos lutar.

Na terça-feira dia 26 de Julho de 2011

informação
A Associação Portuguesa para a Igualdade Parental e Defesa dos Direitos dos Filhos, associa-se à comemoração do Dia Mundial dos Avós, felicitando todos aqueles que neste dia podem estar juntos com os seus netos e que com eles têm uma relação próxima.Todavia, a Associação recorda também que nos casos de separação e divórcio existem pais e mães que, consoante os casos, afastam (deliberadamente ou pelo silêncio) os seus filhos dos avós maternos ou paternos, “matando simbolicamente” um dos principais vínculos afectivos das crianças e adolescentes e, provavelmente, uma das suas principais referências de vida.
Neste dia, cabe perguntar também se é do “superior interesse da criança” o afastamento dos avós, promovido por um dos progenitores ?

E já agora fica também este video, sobre a iniciativa levada a cabo no ano passado pela Associação em frente ao Ministerio da Justiça:

Hoje é dia…


Hoje é dia, de estar com o meu filho, por breves momentos, é verdade, mas são esses breves momentos que me fazem feliz, que me fazem ver o sorriso de felicidade com o que o meu filho está comigo, e que se sente bem, perto do pai.

Tento o fazer esquecer que o usam, que lhe tentam transformar a cabeça e obriga-lo a ser arma de arremesso, contra mim. Não há nada nem ninguém que o faça demover de querer o pai, e isso vai fazer que um dia, ele obrigue os outros a mudar. Não quero saber se a mãe lhe rapa o cabelo, se o veste de menina, ou de palhaço, como o faz, e as fotos comprovam-no, não me importa se ela tenta fazer que ele, seja contra mim, como também o faz, e que o abandone, para ir passear com o “amigo” ou para ir  trabalhar, não sou eu que sofro as consequências, a mim só me afecta psicologicamente, em saber que o meu filho esta a ser alienado, a mim só me faz o coração tremer de medo e de ficar doente com esta situação, mas quem sofre é ele, é ele que se sente só e desamparado pela mãe, é ele que fica com traumas e sentimentos de revolta, que o fazem mudar e perceber as coisas que estão erradas. Eu para já não consigo fazer nada, para já, mas o processo no tribunal continua, e há-de continuar, até que alguém se mexa, ou até que  ouçam, o que o meu filho quer. A mim compete-me neste momento mostrar ao meu filho que a vida é bela, que a vida pode e lhe deve ser boa, pois é uma criança, não um objecto, que o pai o acompanhará toda a vida, ajudando-o a ser feliz, a poder falar de tudo comigo e de saber que não só de brincadeiras o tempo com o pai é gasto, é num acompanhamento constante e de demonstração de segurança e amor, de obtenção de objectivos que o vão guiar pela vida fora a ser feliz, a saber estudar e a saber conduzir a vida dele de forma honesta e seria, ao contrario de outras formas que lhe possam demonstrar. Não sou perfeito, nem o quero ser, quero ser sim o Pai dele, e mostrar-lhe que estou sempre do lado dele, e que é comigo que pode contar, quando o largarem. Mas tudo um dia muda…um dia filho…tudo muda… um dia…

Guerra


Tudo começa, e com o passar do tempo, é história, e como todas as historias tem o valor de uma moeda, pois ambas têm 2 faces!
A minha vida mudou com o nascimento do meu adorado filho, eu sofria, mas deixei-me estar, eu chorava, mas aguentei-me, até não conseguir mais, até se ter ultrapassado todos os limites da razão, até o negro ser branco e o branco ser vermelho, resistir, havia sido inutil.
O meu filho quando nasceu foi a mais fantástica sensação que tive, não houve dinheiro, acontecimento, que me tira-se a alegria de o ver quando nasceu, de lhe ter cortado o cordão umbilical, e o ter sentido com aqueles olhos em forma de amendoa, a segurar o meu dedo com aquela mão, pequenina, tão frágil e doce.
Ajuda-lo a limpar, a pesa-lo, e a vesti-lo, nada no mundo compensa este sentimento, passei o natal sozinho, mas com vontade de o trazer para casa, e o ter bem perto de mim.
Logo nessa altura as "guerras" se iniciaram com a mãe dele, e eu desisti de tudo, não conseguia mais, tive de me afastar, tive de sair para poder viver novamente.
Só não, ultrapassei a tristeza de o ter que deixar, mas para onde o levava?
Os pais, não tem tanta sorte, ou aguentamos sofrer ou largamos os nossos filhos as amarguras das mães, elas também poderão dizer o mesmo, mas a elas é mais fácil, mais linear pois ficam com tudo, e tentamos sempre passar panos quentes para que elas, não possam se vingar nos filhos.
Eu não tive, nem tenho tanta sorte, a minha largou-o com 6 meses e foi com uma amiga para fora, durante 6 dias!Não querendo saber.
Para passear, coloca-lhe a vida em perigo, colocando a frente, sem cadeira e sem qualquer segurança (leia-se criança com 2 anos), e os pais todos perguntam...onde esta a policia? O que fazem com as nossas queixas a segurança social? Os Juizes?
Nada, simplesmente ignoram...simplesmente dizem é necessário mais...
Mais como??? Que seja prostituta??? Que se drogue em frente dos juízes???
Dá-se provas e nada, da-se imagens e nada, só falta começar todos numa loucura de tiros a tudo e a todos, e esta feito!
As pessoas revoltam-se quando vêem na tv, mães que matam os filhos ou pais que os raptam e perguntam-se porque...
É fácil, a resposta, porque ninguém liga, ninguém ouve, deixam os filhos serem usados como armas de guerra de uma estupidez, seja ela da mãe seja do pai!
E ninguém liga, nem ouve...no meu caso, fiquei sentado desta ultima vez a ver o cabelo do meu filho crescer, até ficar com tranças, cansei, não adiantou falar, dirigi-me a uma cabeleireira credenciada, e com formação...perguntam vocês, e???
Bem o e, que a mãe pegou nele quando o viu e com uma maquina de uns amigos rapou-lhe o cabelo todo, como dizendo eu é que mando, eu é que sei...quem paga??? O filho...
Será assim sempre, eu sei, mas hei-de continuar a gritar, um dia, um dia eu sei que nos hão de ouvir e os pais terão os mesmos direitos que as mães...um dia..um dia...