Ontem ao passear na Bertrand, deparei-me com este livro que me deliciou,e elucida a todos muitos pontos e possíveis formas de atuar neste “problema” dos pais separados.

O Casa Mãe, Casa Pai de Isolina Ricci, é um livro adaptado da legislação Americana, mas que tem muitos mas mesmo muitos pontos em comum, com alguns dos problemas com que nos deparamos em todo o mundo.

É sobretudo um guia para pais separados, divorciados ou que voltaram a casar, custa 24,03€, mas vale bem a pena, comecei a ler e tem me surpreendido bastante.

Apesar do preço e do volume do mesmo,quanto mais não seja passem pela Bertrand e dêem uma vista de olhos.

Revisão e adaptação da tradução à realidade portuguesa: Professora Dra. Helena Afonso

Finalmente em Portugal CASA DA MÃE, CASA DO PAI, o clássico guia que desde os anos oitenta tem sido uma das principais obras de referência para mães e pais separados, divorciados ou que voltaram a casar.

Num período das suas vidas em que os Pais podem sentir o mundo a desabar à sua volta, este livro é fundamental na tarefa de reorganização da vida familiar após a separação conjugal ou divórcio. Contém informação pertinente e útil sobre os problemas que frequentemente surgem e os erros vulgarmente cometidos, os mitos comuns sobre os Pais separados/divor-ciados e formas de evitar e resolver dificuldades causadoras de grande desgaste emocional.

Muito recomendado não só para os Pais interessados em continuar activamente envolvidos na vidas dos filhos como também para todos os profissionais que com eles trabalham nesse percurso familiar construtivo, CASA DA MÃE, CASA DO PAI é um guia essencial para:

— Desenvolver práticas parentais eficazes e saudáveis

— Ajudar os filhos e dar-lhes um sentido de continuidade e segurança

— Comunicar, estabelecer acordos e fazer planos parentais com o outro progenitor

— Superar as emoções ligadas à relação conjugal passada

— Ganhar controlo sobre as suas vidas

Os diferentes passos para construir uma família com dois lares para os filhos. Mesmo que a relação entre os Pais não seja cordial ou cooperativa, pode ter regras explícitas e expectativas claras, para facilitar a partilha das responsabilidades parentais e o bem estar dos filhos.

Um excelente ponto de partida para ajudar os Pais a continuarem, depois do divórcio, aquilo que começaram – criar e educar os filhos… um dia eles vão agradecer!

 

ÍNDICE

PREFÁCIO À EDIÇÃO PORTUGUESA / NOTA DO AUTOR / 1ª PARTE – DOIS LARES SEM CONFLITOS: CAPÍTULO 1 – A construção de uma nova vida familiar: O destino: A CONSTRUÇÃO DE UMA NOVA VIDA FAMILIAR: Um mundo de dor: lidar com a separação; Tomar decisões: encontre o seu próprio ritmo / DOIS LARES PODEM FUNCIONAR PARA SI: A visão global / GERIR O OBJECTIVO DE UM DIVÓRCIO OU SEPARAÇÃO DECENTES: Faça com que a crise funcione em seu proveito / A NOVA “CONSTITUIÇÃO” FAMILIAR: Como funciona a “Constituição” familiar / QUANDO OS FILHOS TÊM UM MELHOR DESEMPENHO: Existem muitas formas e estilos de dois lares; Se acreditar que tem uma família, não duvide que a tem mesmo / OS NOVOS PIONEIROS / COMO USAR ESTE LIVRO / CAPÍTULO 2 – Acredite na sua família: Desmontar mitos destrutivos: DOZE MITOS DESTRUTIVOS SOBRE O DIVÓRCIO: Mito um: não resulta; Mito dois: não tentaste; Mito três: o outro progenitor vai desaparecer e deixá-lo(a) sozinho(a); Mito quatro: o divórcio é uma telenovela ou uma guerra; Mito cinco: as recriminações são inevitáveis; Mito seis: existe uma versão verdadeira para explicar o fim de uma relação; Mito sete: os filhos são bons intérpretes; Mito oito: a melhor maneira de fazer algo é o tudo ou nada; Mito nove: as crianças ficam sempre melhor num único lar, com uma única autoridade; Mito dez: existem apenas duas opções: tornarem-se nos “ex” eternamente desavindos ou ter o divórcio perfeito; Mito onze: os filhos não são afectados pelos pais que acreditam nestes mitos; Mito doze: um pai ou uma mãe sozinhos raramente conseguem educar os filhos bem / CONTROLAR OS MITOS / ACREDITE NA SUA FAMÍLIA: Actualize o seu sonho; Actualize os seus papéis; Aprenda a trabalhar em conjunto; Empenhamento: esse “empurrão” extra / CAPÍTULO 3 – A passagem de um para dois lares: O mapa: O MAPA: DO ESTÁDIO UM A SETE / DE UM LAR PARA DOIS LARES: Um lar: história familiar 1; Dois lares: história familiar 2 / OS PERÍODOS DE CRISE PARA PAIS E FILHOS: ESTÁDIOS QUATRO E CINCO: PAIS SOLTEIROS E MÃES SOLTEIRAS / VOLTAR A CASAR E UMA NOVA HISTÓRIA FAMILIAR / VOCÊ E O OUTRO PROGENITOR: UM NOVO TIPO DE RELAÇÃO: Quando o outro progenitor não considera a solução dos dois lares / INSTRUÇÕES PARA AVALIAR OS SEUS PROGRESSOS / CAPÍTULO 4 – Cuidado com a linguagem: Como as palavras podem ajudar ou ferir / PALAVRAS “MALCHEIROSAS” E PALAVRAS “PERFUMADAS”: O “lar desfeito” / O QUE AS CRIANÇAS OUVEM: O divórcio como um crime; O divórcio como um concurso / UM VOCABULÁRIO NOVO / A MUDANÇA DE HÁBITOS ANTIGOS / AS VANTAGENS DUM NOVO VOCABULÁRIO: Os benefícios demoram um pouco a manifestar-se; O poder da linguagem / CAPÍTULO 5 – O seu “capital humano”: Aumentar os seus recursos para lidar com o stresse: MUDANÇAS QUANDO TERMINA UMA RELAÇÃO: Demasiadas mudanças / OS EFEITOS DO STRESSE: Stresse e doença / Stresse e as decisões / OS SEUS RECURSOS PARA LIDAR COM O STRESSE / AUTO-TESTE: QUAIS SÃO OS SEUS RECURSOS?: Como aumentar o seu “capital” humano / DEZ REGRAS BÁSICAS QUE PERMITEM QUE UMA CRISE FUNCIONE EM SEU BENEFÍCIO / QUE QUANTIDADE DE MUDANÇA E STRESSE PODE E DEVE SUPORTAR? / 2ª PARTE – COMO TIRA PARTIDO DOS TEMPOS DIFÍCEIS: CAPÍTULO 6 – As emoções quando termina uma relação: As feridas e a cura: AS FERIDAS E A CURA: A sua sobrevivência e a sua reorganização emocional e pessoal / DE QUEM FOI A IDEIA? QUEM FOI SURPREENDIDO?: “Campo de treino” pré-separação; Trabalho de revisão e alívio dos sentimentos fortes; O alívio seguro de sentimentos fortes; Temas em repetição: os seus velhos esqueletos; Os seus travões automáticos: negação e entorpecimento / AS FASES DA RUPTURA DUMA RELAÇÃO: A PRIMEIRA E SEGUNDA VAGAS: A primeira vaga; A segunda vaga / TRATAMENTOS PARA A CURA DA FERIDA / A PRIMEIRA VAGA DE EMOÇÕES EM DETALHE: Fase um: pré-separação (a decisão de se separar); Fase dois: a separação; A parede entre a fase dois e três; Fase três: emoções fortes; A montanha russa; Sinais de perigo e como lidar com eles / O VÍCIO DAS EMOÇÕES FORTES: Como se instala o vício; Como evitar a ratoeira do “drogado”; Fase quatro: adolescência adulta; Fase cinco: uma nova maturidade e um novo estilo de vida; Os estádios finais da separação – honrar o passado / CAPÍTULO 7 – A retirada da intimidade: Como se relacionar com o outro progenitor: INTIMIDADE NEGATIVA: Como a intimidade negativa afecta os filhos / AQUELE VELHO SENTIMENTO DE FAMÍLIA / DA INTIMIDADE À RELAÇÃO FUNCIONAL: Aprender a relacionar-se de uma forma diferente; As diferenças entre relações / OS TRÊS NÍVEIS BÁSICOS DAS RELAÇÕES: O conhecido e a relação profissional; Amizade – o próximo passo natural; Intimidade / A “RELAÇÃO PROFISSIONAL” DOS PAIS: Construir uma nova relação funcional: os primeiros passos / NEGOCIAR QUANDO PREFERIRIA “COMBATER”: “Eu sou razoável, mas ele(a) é intratável.”; Quem deve começar?; Quando começar / AUTO-TESTE: ESTÁ A AFASTAR-SE DA INTIMIDADE? / ORIENTAÇÕES PARA SE AFASTAR DA INTIMIDADE / CAPÍTULO 8 – A nova relação de tipo profissional: Padrões de conduta para os pais: PADRÕES DE CONDUTA PARA UMA RELAÇÃO FUNCIONAL:Preserve o seu território, independência e autonomia; Aja de maneira que as necessidades dos seus filhos sejam mais importantes do que os seus direitos de território ou do que a sua independência; Respeite o tempo que o outro progenitor passa com os filhos / INTERFERIR OU NÃO: Interfira caso o seu filho precise da sua protecção; Respeite o estilo parental do outro progenitor / COMUNICAÇÃO: Siga boas regras de comunicação; Analise o seu estilo de comunicação; As suas fontes: directas ou indirectas? / AS REACÇÕES DO OUTRO PROGENITOR: DIFÍCEIS OU FÁCEIS: Reveja a sua comunicação, passada e presente; Faça um intervalo / PRINCÍPIOS BÁSICOS DO “NEGÓCIO DA PARENTALIDADE”: Usem princípios básicos “negociais”; nos contactos que mantiverem um com o outro / QUANDO AS COISAS SE COMPLICAM / UM EXEMPLO DE UMA BOA RELAÇÃO FUNCIONAL / COMO SE PREPARAR PARA UMA DISCUSSÃO / SOBRE O “NEGÓCIO DA PARENTALIDADE”: Como sabotar a vossa relação funcional; Como os memorandos ajudam; O respeito dos vossos filhos / CAPÍTULO 9 – Casa da mãe, casa do pai: Como transformar ambas as casas em lares: AS VANTAGENS DOS DOIS LARES / AS VOSSAS ESPERANÇAS E SONHOS ENQUANTO PAIS: As esperanças e sonhos de Randy e Leslie para as filhas / PADRÕES DE PARENTALIDADE: Padrões doentios; Padrões saudáveis / O SEU LAR: Um sentimento de pertença: as minhas coisas; “Bater as redondezas”; Ordem em casa; As regras caseiras e o seu estilo parental; Regras caseiras no outro lar; Tomar as refeições em conjunto; Regras de segurança; Trabalho doméstico / CUIDADOS INFANTIS: Escolher os cuidados infantis; Espaço para o pai ou a mãe respirarem; Como encontrar tempo para si próprio(a); Quais são as suas prioridades? / MANTER-SE EM CONTACTO COM OS SEUS FILHOS: Mostre aos seus filhos que pensa neles; Conte com contactos por parte dos seus filhos / ÂNCORAS PARA ADOLESCENTES: “Mãe, já não tenho idade para uma baby-sitter…”; Os adolescentes precisam de pais que se envolvam na medida exacta / OS OUTROS ADULTOS NA VIDA DOS VOSSOS FILHOS: Informar as pessoas correctas ajuda os seus filhos; Como comunicar com a escola e outras instituições; Contactos directos com médicos, professores e outros adultos; “Nós preocupamo-nos ambos” / DE REGRESSO A UMA VIDA NORMAL / CAPÍTULO 10 – Os vossos filhos: Como lhes dar segurança e continuidade: “Que posso fazer?” / ESCOLHAS E MUDANÇAS PARA OS VOSSOS FILHOS: O “TNC” dos seus filhos; Explique a mudança aos seus filhos; Fale com os seus filhos; Dê oportunidade aos seus filhos de manifestarem a sua opinião; Deverão os filhos tomar decisões?; As listas de “preparado” e “não preparado” dos filhos; Que quantidades de mudança podem os seus filhos aguentar?; A auto-estima e o estatuto dos filhos / MANTER OS FILHOS FORA DOS VOSSOS CONFLITOS: Os vossos filhos amam e precisam de vocês os dois; Os filhos podem tentar proteger os pais; Manter os filhos fora dos conflitos; Manter os pais fora dos conflitos; Analisar cuidadosamente a situação; “Perdi o respeito pelos meus pais” / ACALMAR OS MEDOS DOS VOSSOS FILHOS E RECONSTRUIR A CONFIANÇA: Preste atenção aos seus filhos; As emoções dos seus filhos; Os sentimentos de abandono e perda dos filhos; Os filhos também sofrem; Os filhos podem sentir-se culpados pelos problemas dos pais; O meu pai (a minha mãe) deixou-me; As idas e as vindas; Os filhos precisam que os pais sejam adultos / COMO SABER QUANDO OS VOSSOS FILHOS PRECISAM DE AJUDA: Tempo passado em conjunto: ouça, acalme e aproxime-se dos seus filhos / CONFIE EM SI, CONFIE NO SEU INSTINTO: Alegria, humor e uma atitude positiva / 3ª PARTE – OS ASPECTOS LEGAIS: CAPÍTULO 11 – Os aspectos legais: Uma panorâmica geral, guarda e tomada das principais decisões: A PANORÂMICA GERAL: As ambiguidades da lei; Primeiro: controle as suas emoções; Segundo: tente manter-se afastado(a) do tribunal; Terceiro: conheça as leis aplicáveis ao seu caso; Quatro: separe as decisões sobre os seus filhos daquelas que estão relacionadas com bens e outras questões financeiras / ADVOGADOS: Permanecer longe dos tribunais / GUARDA, AUSÊNCIA DE GUARDA E GUARDA PARTILHADA: As palavras que assustam; Os rótulos legais são importantes; Fale com amigos, conselheiros e advogados / GUARDA DOS FILHOS: ALGUNS TERMOS LEGAIS COMUNS: A guarda conjunta não significa tempo igual; Guarda única / O TEMPO DOS PAIS PASSADO COM OS FILHOS: Maneiras de encarar o tempo; Lute pelo equilíbrio / O CALENDÁRIO DOS FILHOS: Os horários bem sucedidos acabam por ser adaptáveis; Tempo fora do horário / O QUE É MELHOR PARA OS VOSSOS FILHOS? / MANEIRAS DE PARTILHAR O TEMPO: Crianças em idade escolar; Fazer ninho; Bebés e crianças em idade pré-escolar; Férias e dias especiais; Fazer planos para férias / ONDE VOCÊ E OS SEUS FILHOS VÃO VIVER?: A casa da família; A geografia dos dois lares: quem pertence onde? / A TOMADA DAS PRINCIPAIS DECISÕES PARA OS VOSSOS FILHOS: Decisões do dia-a-dia quando os filhos estão consigo; Principais decisões e assumir a responsabilidade de as cumprir / É A SUA VEZ. QUE PRETENDE? / CAPÍTULO 12 – Planos e acordos parentais: Elementos básicos: ANATOMIA DE UM PLANO PARENTAL / O QUE DEVERÁ CONSTAR DE UM PLANO PARENTAL BÁSICO / UM PLANO PARENTAL EM DETALHE / AMOSTRA DE PADRÕES DE CONDUTA / CLÁUSULAS ESPECIAIS: O “direito à primeira recusa”: mais tempo com os filhos; Marcar consultas ou tomar decisões que envolvem o outro progenitor; Mudanças de horários e trocas de períodos de tempo; Sinais de perigo e como avaliar se o plano funciona no caso dos seus filhos; Encontros de pais para partilha de informação / CONTRATOS PARTICULARES: Regras caseiras partilhadas / CAPÍTULO 13 – Como negociar os vossos próprios acordos: Um guia passo a passo: Acordos particulares de curto prazo e planos parentais legalmente vinculativos; Comece com as decisões de curto prazo e com os acordos informais; Equacione o uso de mediação familiar logo desde o início / ACORDOS PARTICULARES DE CURTO PRAZO: Advogados e mediadores / DEZ DICAS SOBRE COMO NEGOCIAR: Como começar / PASSOS PRINCIPAIS PARA UM ACORDO DE CURTO PRAZo / COMO NEGOCIAR UM ACORDO DE CURTO PRAZO: Preparação para a negociação de um acordo de curto prazo; Acordo de curto prazo de Gino e Marlene / ACORDOS LEGAIS E PLANOS PARENTAIS: Acordo legal temporário; A decisão de guarda temporária que não é temporária / O PLANO PARENTAL A LONGO PRAZO: Primeiro, pense nos aspectos que quer fazer constar de um plano permanente; Um exemplo de uma “lista preparado” e de uma “lista não preparado” / LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA AS SUAS NEGOCIAÇÕES: Preparado? Pronto? Parta.; Primeira e segunda reuniões: o que discutir; Quando chegarem a um acordo; Quando discordarem; No final de cada reunião; Quando tiverem chegado a acordo sobre todas as vossas questões / ALGUMAS CONSIDERAÇÕES FINAIS: Actualizar e modificar os planos parentais depois de decisão do tribunal; Revejam o acordado quanto aos períodos de tempo de dois em dois anos pelo menos; Todos os pais têm momentos em que discordam / CAPÍTULO 14 – Plano parental a longo prazo: Como chegar a um acordo sozinhos / REUNIÕES: Primeira reunião; Segunda reunião – por telefone; Terceira reunião; Quarta reunião – ao telefone; Reuniões subsequentes; Impasse – conte com alguns obstáculos / RESULTADO: UM PLANO PARENTAL: O plano parental dos Brown / COMO COLOCAR NO PAPEL O VOSSO ACORDO?: Ponham a hipótese de um período de experiência; Estabeleçam um acordo que possa ser lido pelos vossos filhos; O efeito do plano parental nos filhos / A VOSSA NOVA “FRENTE UNIDA”: Acordo particular e ratificação pelo tribunal; Os vossos acordos escritos / CAPÍTULO 15 – Mediação familiar: Obter ajuda para se manter afastado(a) dos tribunais / O QUE É A MEDIAÇÃO FAMILIAR?:Regras típicas de mediação que os mediadores promovem; Como a mediação pode ajudar os vossos filhos; Mediação para casais onde a violência está presente / PERGUNTAS FREQUENTEMENTE COLOCADAS: Quando deve pôr a hipótese de mediação; Quando evitar a mediação; Violência doméstica e maus-tratos / O SEU PAPEL NO PRÓPRIO PROCESSO DE MEDIAÇÃO: Que esperar / COMO SE PREPARAR PARA AS NEGOCIAÇÕES / EXEMPLO DE UMA MEDIAÇÃO: COMO USAR A MEDIAÇÃO PARA OS ACORDOS LEGAL E PRIVADO: Pano de fundo; Escolher um mediador; Preparação para o primeiro encontro; A primeira sessão de mediação; Segunda sessão – dez dias depois; Terceira sessão; Quarta sessão; Quinta e última sessão, três semanas mais tarde; Os retoques finais / 4ª PARTE – A SUA FAMÍLIA, O SEU FUTURO / CAPÍTULO 16 – A sua família: Como fortalecer a família: A SUA FAMÍLIA: Como construir a solidez familiar e um novo sentimento de família; Exprima-se claramente: tenha orgulho na sua família / TIPOS DE QUEIXAS / FÉRIAS: Excessos; Sugestões para planeamento prático; Sugestões; Fatias mais finas da mesma tarte; Sentir um nó no estômago; As suas novas férias e o “sentimento de família” / CAPÍTULO 17 – A sua rede familiar: Abrir a sua família a outros: Uma rede de conhecidos / AS BARREIRAS MAIS COMUNS AO ALARGAMENTO DA FAMÍLIA: Fazer tudo sozinho(a); Receio de incomodar os outros; O Sr. Certo e a Sra. Maravilha; Desânimo, o primeiro ano; As suas próprias necessidades e estilo pessoal / COMO COMEÇAR UMA FAMÍLIA ALARGADA E UMA REDE DE CONHECIDOS: Maneiras de começar famílias alargadas e redes de conhecidos; Tomar conta dos filhos de outras pessoas: como dar o que se recebe; Você hoje deu as boas vindas a uma criança? / QUANDO NÃO HÁ OUTRO PROGENITOR: Dirija as suas energias para incluir outros / CAPÍTULO 18 – Ser pai ou mãe à distância: Como se sentir próximo quando se está muito afastado fisicamente: MUDAR-SE OU NÃO PARA LONGE: A mudança para longe é a maior alteração imediata depois da separação; Mudar-se para longe traz mais lembranças; “Alivie” os seus sentimentos em segurança; Abrande o ritmo e desenvolva opções; Opções se linda e as crianças ficarem; Opções – mudança para longe; As crianças têm de saber quando vão voltar a ver o progenitor ausente; A educação dos filhos à distância é diferente de quando se vive mais perto; O progenitor do ano escolar; O progenitor do verão: comunicações – a chave / COMO SENTIR-SE PRÓXIMO(A) QUANDO VOCÊ ESTÁ LONGE: As diversas formas de correio; Correspondência e escolas; Os telefonemas: voice mail, beepers, gravadores de chamadas; A caixa “penso em ti”; Cassetes de vídeo e áudio; Partilhar projectos e acontecimentos a grande distância / PARTIDAS E REENCONTROS: Casa para o verão; A tensão física da viagem e do reencontro; Casa para o ano escolar; Seja paciente, seja compreensivo(a) / CAPÍTULO 19 – Quando um dos progenitores ausente regressa: Aspectos a considerar; A reentrada é complicada! / COMO AS CRIANÇAS SE SENTEM QUANDO PERDEM UM PROGENITOR: Abuso, negligência, violência; As crianças podem sentir-se abandonadas, culpadas, ressentidas, profundamente magoadas; Regressar implica normalmente dizer “desculpa”; Tornar-se novamente um progenitor activo; Um pequeno passo – informe-se da possibilidade de partilha de informações; Partilhar certas decisões; Rótulos sobre a guarda dos filhos; Reacções / O PREÇO DA REENTRADA – PARA AMBOS OS PAIS / QUANDO A REAPROXIMAÇÃO NÃO RESULTA: DOIS LARES COM AMIGOS E FAMILIARES: “Os sentimentos podem comê-lo(a) vivo(a)” / CAPÍTULO 20 – Seguir em frente: Recuos e avanços: A SEGUNDA VAGA: FLASHBACKS:”Até onde consegui eu chegar?”; Que coisas desencadeiam estas situações?; Uma coisa de cada vez ou todas ao mesmo tempo; Quanto tempo vai durar?; Tratamento para os flashbacks / VOLTAR A CASAR: VOCÊ OU O OUTRO PROGENITOR: Você volta a casar; O outro progenitor volta a casar; Guarda dos filhos e dinheiro; “Como devo tratar-te?”; Recriar as férias depois de voltar a casar; As linhas de orientação cardinais – revisão / UM DESFECHO DIFERENTE / MUDANÇA DA RESIDÊNCIA DO ANO ESCOLAR: “Não tenho mão nele, fica tu com ele”; Os adolescentes e os pais / O SEU LUGAR NA COMUNIDADE / FORMATURAS, CASAMENTOS E FESTAS FAMILIARES: Os outros estão dependentes das suas “deixas” / E OBRIGADO PELA LEMBRANÇA / 5ª PARTE – OBRAS DE CONSULTA E RECURSOS: PARA PROFISSIONAIS / NOTAS DE CAPÍTULO / PREFÁCIO / 1ª PARTE: Capítulo 1. A construção de uma nova vida familiar; Capítulo 2. Acredite na sua família; Capítulo 3. A passagem de um para dois lares; Capítulo 4. Cuidado com a linguagem; Capítulo 5. O seu “capital humano” / 2ª PARTE: Capítulo 6. As emoções quando termina uma relação; Capítulo 7. A retirada da intimidade; Capítulo 8. A nova relação de tipo profissional; Capítulo 9. Casa da mãe, casa do pai; Capítulo 10. Os vossos filhos / 3ª PARTE: Capítulo 11. Os aspectos legais; Capítulo 12. Planos e acordos parentais; Capítulo 13. Como negociar os vossos próprios acordos; Capítulo 14. O plano parental a longo prazo; Capítulo 15. Mediação familiar / 4ª PARTE: Capítulo 16. A sua família; Capítulo 17. A sua rede familiar; Capítulo 18. Ser pai ou mãe à distância; Capítulo 19. Quando um dos progenitores ausente regressa; Capítulo 20. Seguir em frente / 5ª PARTE: Apêndice 1, 2 e 3; Apêndice 4; Apêndice 5; Apêndice 6; Apêndice 7; Apêndice 8 / BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR/ APÊNDICE 1: INFORMAÇÃO PARA AS ESCOLAS (A SER ANUALMENTE ACTUALIZADA PELOS PAIS) / APÊNDICE 2: ADVOGADOS: Como encontrar um advogado competente; Questões a colocar por telefone; Questões a colocar no primeiro encontro formal / APÊNDICE 3: DINHEIRO – OS CUSTOS COM A EDUCAÇÃO DOS FILHOS: Fantasias sobre o dinheiro e o outro progenitor; Um quadro financeiro realista: um bom começo; Contabilidade das contribuições financeiras directas: para onde vai este dinheiro? / APÊNDICE 4: CONTRATOS PARTICULARES / APÊNDICE 5: MEDIAÇÃO DO ACORDO DE CONFIDENCIALIDADE / APÊNDICE 6: MEDIAÇÃO EM PORTUGAL / APÊNDICE 7 :O QUE ACONTECE NA MEDIAÇÃO: A primeira reunião: a confirmação da razão da sua presença ali; Todas as reuniões: explorar detalhadamente as questões em que estão de acordo e desacordo; Atingir, escrever e rever os vossos acordos; Redigir o acordo parental e torná-lo “legal”; Implementação do acordado / APÊNDICE 8: UM GUIA PARA A ESCOLHA DE CUIDADOS INFANTIS: Para baby-sitters que virão para sua casa; Depois de ter feito a sua escolha.

Revisão e adaptação da tradução à realidade portuguesa: Professora Dra. Helena Afonso

Finalmente em Portugal CASA DA MÃE, CASA DO PAI, o clássico guia que desde os anos oitenta tem sido uma das principais obras de referência para mães e pais separados, divorciados ou que voltaram a casar.

Num período das suas vidas em que os Pais podem sentir o mundo a desabar à sua volta, este livro é fundamental na tarefa de reorganização da vida familiar após a separação conjugal ou divórcio. Contém informação pertinente e útil sobre os problemas que frequentemente surgem e os erros vulgarmente cometidos, os mitos comuns sobre os Pais separados/divor-ciados e formas de evitar e resolver dificuldades causadoras de grande desgaste emocional.

Muito recomendado não só para os Pais interessados em continuar activamente envolvidos na vidas dos filhos como também para todos os profissionais que com eles trabalham nesse percurso familiar construtivo, CASA DA MÃE, CASA DO PAI é um guia essencial para:

— Desenvolver práticas parentais eficazes e saudáveis

— Ajudar os filhos e dar-lhes um sentido de continuidade e segurança

— Comunicar, estabelecer acordos e fazer planos parentais com o outro progenitor

— Superar as emoções ligadas à relação conjugal passada

— Ganhar controlo sobre as suas vidas

Os diferentes passos para construir uma família com dois lares para os filhos. Mesmo que a relação entre os Pais não seja cordial ou cooperativa, pode ter regras explícitas e expectativas claras, para facilitar a partilha das responsabilidades parentais e o bem estar dos filhos.

Um excelente ponto de partida para ajudar os Pais a continuarem, depois do divórcio, aquilo que começaram – criar e educar os filhos… um dia eles vão agradecer!

 

ÍNDICE

PREFÁCIO À EDIÇÃO PORTUGUESA / NOTA DO AUTOR / 1ª PARTE – DOIS LARES SEM CONFLITOSCAPÍTULO 1 – A construção de uma nova vida familiar: O destino: A CONSTRUÇÃO DE UMA NOVA VIDA FAMILIAR: Um mundo de dor: lidar com a separação; Tomar decisões: encontre o seu próprio ritmo / DOIS LARES PODEM FUNCIONAR PARA SI: A visão global / GERIR O OBJECTIVO DE UM DIVÓRCIO OU SEPARAÇÃO DECENTES: Faça com que a crise funcione em seu proveito / A NOVA “CONSTITUIÇÃO” FAMILIAR: Como funciona a “Constituição” familiar / QUANDO OS FILHOS TÊM UM MELHOR DESEMPENHO: Existem muitas formas e estilos de dois lares; Se acreditar que tem uma família, não duvide que a tem mesmo / OS NOVOS PIONEIROS / COMO USAR ESTE LIVRO / CAPÍTULO 2 – Acredite na sua família: Desmontar mitos destrutivos: DOZE MITOS DESTRUTIVOS SOBRE O DIVÓRCIO: Mito um: não resulta; Mito dois: não tentaste; Mito três: o outro progenitor vai desaparecer e deixá-lo(a) sozinho(a); Mito quatro: o divórcio é uma telenovela ou uma guerra; Mito cinco: as recriminações são inevitáveis; Mito seis: existe uma versão verdadeira para explicar o fim de uma relação; Mito sete: os filhos são bons intérpretes; Mito oito: a melhor maneira de fazer algo é o tudo ou nada; Mito nove: as crianças ficam sempre melhor num único lar, com uma única autoridade; Mito dez: existem apenas duas opções: tornarem-se nos “ex” eternamente desavindos ou ter o divórcio perfeito; Mito onze: os filhos não são afectados pelos pais que acreditam nestes mitos; Mito doze: um pai ou uma mãe sozinhos raramente conseguem educar os filhos bem / CONTROLAR OS MITOS / ACREDITE NA SUA FAMÍLIA: Actualize o seu sonho; Actualize os seus papéis; Aprenda a trabalhar em conjunto; Empenhamento: esse “empurrão” extra / CAPÍTULO 3 – A passagem de um para dois lares: O mapa: O MAPA: DO ESTÁDIO UM A SETE / DE UM LAR PARA DOIS LARES: Um lar: história familiar 1; Dois lares: história familiar 2 / OS PERÍODOS DE CRISE PARA PAIS E FILHOS: ESTÁDIOS QUATRO E CINCO: PAIS SOLTEIROS E MÃES SOLTEIRAS / VOLTAR A CASAR E UMA NOVA HISTÓRIA FAMILIAR / VOCÊ E O OUTRO PROGENITOR: UM NOVO TIPO DE RELAÇÃO: Quando o outro progenitor não considera a solução dos dois lares / INSTRUÇÕES PARA AVALIAR OS SEUS PROGRESSOS /CAPÍTULO 4 – Cuidado com a linguagem: Como as palavras podem ajudar ou ferir / PALAVRAS “MALCHEIROSAS” E PALAVRAS “PERFUMADAS”: O “lar desfeito” / O QUE AS CRIANÇAS OUVEM: O divórcio como um crime; O divórcio como um concurso / UM VOCABULÁRIO NOVO / A MUDANÇA DE HÁBITOS ANTIGOS / AS VANTAGENS DUM NOVO VOCABULÁRIO: Os benefícios demoram um pouco a manifestar-se; O poder da linguagem / CAPÍTULO 5 – O seu “capital humano”: Aumentar os seus recursos para lidar com o stresse: MUDANÇAS QUANDO TERMINA UMA RELAÇÃO: Demasiadas mudanças / OS EFEITOS DO STRESSE: Stresse e doença / Stresse e as decisões / OS SEUS RECURSOS PARA LIDAR COM O STRESSE / AUTO-TESTE: QUAIS SÃO OS SEUS RECURSOS?: Como aumentar o seu “capital” humano / DEZ REGRAS BÁSICAS QUE PERMITEM QUE UMA CRISE FUNCIONE EM SEU BENEFÍCIO / QUE QUANTIDADE DE MUDANÇA E STRESSE PODE E DEVE SUPORTAR? / 2ª PARTE – COMO TIRA PARTIDO DOS TEMPOS DIFÍCEIS:CAPÍTULO 6 – As emoções quando termina uma relação: As feridas e a cura: AS FERIDAS E A CURA: A sua sobrevivência e a sua reorganização emocional e pessoal / DE QUEM FOI A IDEIA? QUEM FOI SURPREENDIDO?: “Campo de treino” pré-separação; Trabalho de revisão e alívio dos sentimentos fortes; O alívio seguro de sentimentos fortes; Temas em repetição: os seus velhos esqueletos; Os seus travões automáticos: negação e entorpecimento / AS FASES DA RUPTURA DUMA RELAÇÃO: A PRIMEIRA E SEGUNDA VAGAS: A primeira vaga; A segunda vaga / TRATAMENTOS PARA A CURA DA FERIDA / A PRIMEIRA VAGA DE EMOÇÕES EM DETALHE: Fase um: pré-separação (a decisão de se separar); Fase dois: a separação; A parede entre a fase dois e três; Fase três: emoções fortes; A montanha russa; Sinais de perigo e como lidar com eles / O VÍCIO DAS EMOÇÕES FORTES: Como se instala o vício; Como evitar a ratoeira do “drogado”; Fase quatro: adolescência adulta; Fase cinco: uma nova maturidade e um novo estilo de vida; Os estádios finais da separação – honrar o passado / CAPÍTULO 7 – A retirada da intimidade: Como se relacionar com o outro progenitor: INTIMIDADE NEGATIVA: Como a intimidade negativa afecta os filhos / AQUELE VELHO SENTIMENTO DE FAMÍLIA / DA INTIMIDADE À RELAÇÃO FUNCIONAL: Aprender a relacionar-se de uma forma diferente; As diferenças entre relações / OS TRÊS NÍVEIS BÁSICOS DAS RELAÇÕES: O conhecido e a relação profissional; Amizade – o próximo passo natural; Intimidade / A “RELAÇÃO PROFISSIONAL” DOS PAIS: Construir uma nova relação funcional: os primeiros passos / NEGOCIAR QUANDO PREFERIRIA “COMBATER”: “Eu sou razoável, mas ele(a) é intratável.”; Quem deve começar?; Quando começar / AUTO-TESTE: ESTÁ A AFASTAR-SE DA INTIMIDADE? / ORIENTAÇÕES PARA SE AFASTAR DA INTIMIDADE / CAPÍTULO 8 – A nova relação de tipo profissional: Padrões de conduta para os pais: PADRÕES DE CONDUTA PARA UMA RELAÇÃO FUNCIONAL:Preserve o seu território, independência e autonomia; Aja de maneira que as necessidades dos seus filhos sejam mais importantes do que os seus direitos de território ou do que a sua independência; Respeite o tempo que o outro progenitor passa com os filhos / INTERFERIR OU NÃO: Interfira caso o seu filho precise da sua protecção; Respeite o estilo parental do outro progenitor / COMUNICAÇÃO: Siga boas regras de comunicação; Analise o seu estilo de comunicação; As suas fontes: directas ou indirectas? / AS REACÇÕES DO OUTRO PROGENITOR: DIFÍCEIS OU FÁCEIS: Reveja a sua comunicação, passada e presente; Faça um intervalo / PRINCÍPIOS BÁSICOS DO “NEGÓCIO DA PARENTALIDADE”: Usem princípios básicos “negociais”; nos contactos que mantiverem um com o outro / QUANDO AS COISAS SE COMPLICAM / UM EXEMPLO DE UMA BOA RELAÇÃO FUNCIONAL / COMO SE PREPARAR PARA UMA DISCUSSÃO / SOBRE O “NEGÓCIO DA PARENTALIDADE”: Como sabotar a vossa relação funcional; Como os memorandos ajudam; O respeito dos vossos filhos /CAPÍTULO 9 – Casa da mãe, casa do pai: Como transformar ambas as casas em lares: AS VANTAGENS DOS DOIS LARES / AS VOSSAS ESPERANÇAS E SONHOS ENQUANTO PAIS: As esperanças e sonhos de Randy e Leslie para as filhas / PADRÕES DE PARENTALIDADE: Padrões doentios; Padrões saudáveis / O SEU LAR: Um sentimento de pertença: as minhas coisas; “Bater as redondezas”; Ordem em casa; As regras caseiras e o seu estilo parental; Regras caseiras no outro lar; Tomar as refeições em conjunto; Regras de segurança; Trabalho doméstico / CUIDADOS INFANTIS: Escolher os cuidados infantis; Espaço para o pai ou a mãe respirarem; Como encontrar tempo para si próprio(a); Quais são as suas prioridades? / MANTER-SE EM CONTACTO COM OS SEUS FILHOS: Mostre aos seus filhos que pensa neles; Conte com contactos por parte dos seus filhos / ÂNCORAS PARA ADOLESCENTES: “Mãe, já não tenho idade para uma baby-sitter…”; Os adolescentes precisam de pais que se envolvam na medida exacta / OS OUTROS ADULTOS NA VIDA DOS VOSSOS FILHOS: Informar as pessoas correctas ajuda os seus filhos; Como comunicar com a escola e outras instituições; Contactos directos com médicos, professores e outros adultos; “Nós preocupamo-nos ambos” / DE REGRESSO A UMA VIDA NORMAL / CAPÍTULO 10 – Os vossos filhos: Como lhes dar segurança e continuidade: “Que posso fazer?” / ESCOLHAS E MUDANÇAS PARA OS VOSSOS FILHOS: O “TNC” dos seus filhos; Explique a mudança aos seus filhos; Fale com os seus filhos; Dê oportunidade aos seus filhos de manifestarem a sua opinião; Deverão os filhos tomar decisões?; As listas de “preparado” e “não preparado” dos filhos; Que quantidades de mudança podem os seus filhos aguentar?; A auto-estima e o estatuto dos filhos / MANTER OS FILHOS FORA DOS VOSSOS CONFLITOS: Os vossos filhos amam e precisam de vocês os dois; Os filhos podem tentar proteger os pais; Manter os filhos fora dos conflitos; Manter os pais fora dos conflitos; Analisar cuidadosamente a situação; “Perdi o respeito pelos meus pais” / ACALMAR OS MEDOS DOS VOSSOS FILHOS E RECONSTRUIR A CONFIANÇA: Preste atenção aos seus filhos; As emoções dos seus filhos; Os sentimentos de abandono e perda dos filhos; Os filhos também sofrem; Os filhos podem sentir-se culpados pelos problemas dos pais; O meu pai (a minha mãe) deixou-me; As idas e as vindas; Os filhos precisam que os pais sejam adultos / COMO SABER QUANDO OS VOSSOS FILHOS PRECISAM DE AJUDA: Tempo passado em conjunto: ouça, acalme e aproxime-se dos seus filhos / CONFIE EM SI, CONFIE NO SEU INSTINTO: Alegria, humor e uma atitude positiva / 3ª PARTE – OS ASPECTOS LEGAIS: CAPÍTULO 11 – Os aspectos legais: Uma panorâmica geral, guarda e tomada das principais decisões: A PANORÂMICA GERAL: As ambiguidades da lei; Primeiro: controle as suas emoções; Segundo: tente manter-se afastado(a) do tribunal; Terceiro: conheça as leis aplicáveis ao seu caso; Quatro: separe as decisões sobre os seus filhos daquelas que estão relacionadas com bens e outras questões financeiras / ADVOGADOS: Permanecer longe dos tribunais / GUARDA, AUSÊNCIA DE GUARDA E GUARDA PARTILHADA: As palavras que assustam; Os rótulos legais são importantes; Fale com amigos, conselheiros e advogados / GUARDA DOS FILHOS: ALGUNS TERMOS LEGAIS COMUNS: A guarda conjunta não significa tempo igual; Guarda única / O TEMPO DOS PAIS PASSADO COM OS FILHOS: Maneiras de encarar o tempo; Lute pelo equilíbrio / O CALENDÁRIO DOS FILHOS: Os horários bem sucedidos acabam por ser adaptáveis; Tempo fora do horário / O QUE É MELHOR PARA OS VOSSOS FILHOS? / MANEIRAS DE PARTILHAR O TEMPO: Crianças em idade escolar; Fazer ninho; Bebés e crianças em idade pré-escolar; Férias e dias especiais; Fazer planos para férias / ONDE VOCÊ E OS SEUS FILHOS VÃO VIVER?: A casa da família; A geografia dos dois lares: quem pertence onde? / A TOMADA DAS PRINCIPAIS DECISÕES PARA OS VOSSOS FILHOS: Decisões do dia-a-dia quando os filhos estão consigo; Principais decisões e assumir a responsabilidade de as cumprir / É A SUA VEZ. QUE PRETENDE? / CAPÍTULO 12 – Planos e acordos parentais: Elementos básicos: ANATOMIA DE UM PLANO PARENTAL / O QUE DEVERÁ CONSTAR DE UM PLANO PARENTAL BÁSICO / UM PLANO PARENTAL EM DETALHE / AMOSTRA DE PADRÕES DE CONDUTA / CLÁUSULAS ESPECIAIS: O “direito à primeira recusa”: mais tempo com os filhos; Marcar consultas ou tomar decisões que envolvem o outro progenitor; Mudanças de horários e trocas de períodos de tempo; Sinais de perigo e como avaliar se o plano funciona no caso dos seus filhos; Encontros de pais para partilha de informação / CONTRATOS PARTICULARES: Regras caseiras partilhadas / CAPÍTULO 13 – Como negociar os vossos próprios acordos: Um guia passo a passo: Acordos particulares de curto prazo e planos parentais legalmente vinculativos; Comece com as decisões de curto prazo e com os acordos informais; Equacione o uso de mediação familiar logo desde o início / ACORDOS PARTICULARES DE CURTO PRAZO: Advogados e mediadores / DEZ DICAS SOBRE COMO NEGOCIAR: Como começar / PASSOS PRINCIPAIS PARA UM ACORDO DE CURTO PRAZo / COMO NEGOCIAR UM ACORDO DE CURTO PRAZO: Preparação para a negociação de um acordo de curto prazo; Acordo de curto prazo de Gino e Marlene / ACORDOS LEGAIS E PLANOS PARENTAIS: Acordo legal temporário; A decisão de guarda temporária que não é temporária / O PLANO PARENTAL A LONGO PRAZO: Primeiro, pense nos aspectos que quer fazer constar de um plano permanente; Um exemplo de uma “lista preparado” e de uma “lista não preparado” / LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA AS SUAS NEGOCIAÇÕES: Preparado? Pronto? Parta.; Primeira e segunda reuniões: o que discutir; Quando chegarem a um acordo; Quando discordarem; No final de cada reunião; Quando tiverem chegado a acordo sobre todas as vossas questões / ALGUMAS CONSIDERAÇÕES FINAIS: Actualizar e modificar os planos parentais depois de decisão do tribunal; Revejam o acordado quanto aos períodos de tempo de dois em dois anos pelo menos; Todos os pais têm momentos em que discordam / CAPÍTULO 14 – Plano parental a longo prazo: Como chegar a um acordo sozinhos / REUNIÕES: Primeira reunião; Segunda reunião – por telefone; Terceira reunião; Quarta reunião – ao telefone; Reuniões subsequentes; Impasse – conte com alguns obstáculos / RESULTADO: UM PLANO PARENTAL: O plano parental dos Brown / COMO COLOCAR NO PAPEL O VOSSO ACORDO?: Ponham a hipótese de um período de experiência; Estabeleçam um acordo que possa ser lido pelos vossos filhos; O efeito do plano parental nos filhos / A VOSSA NOVA “FRENTE UNIDA”: Acordo particular e ratificação pelo tribunal; Os vossos acordos escritos / CAPÍTULO 15 – Mediação familiar: Obter ajuda para se manter afastado(a) dos tribunais / O QUE É A MEDIAÇÃO FAMILIAR?:Regras típicas de mediação que os mediadores promovem; Como a mediação pode ajudar os vossos filhos; Mediação para casais onde a violência está presente / PERGUNTAS FREQUENTEMENTE COLOCADAS: Quando deve pôr a hipótese de mediação; Quando evitar a mediação; Violência doméstica e maus-tratos / O SEU PAPEL NO PRÓPRIO PROCESSO DE MEDIAÇÃO: Que esperar / COMO SE PREPARAR PARA AS NEGOCIAÇÕES / EXEMPLO DE UMA MEDIAÇÃO: COMO USAR A MEDIAÇÃO PARA OS ACORDOS LEGAL E PRIVADO: Pano de fundo; Escolher um mediador; Preparação para o primeiro encontro; A primeira sessão de mediação; Segunda sessão – dez dias depois; Terceira sessão; Quarta sessão; Quinta e última sessão, três semanas mais tarde; Os retoques finais / 4ª PARTE – A SUA FAMÍLIA, O SEU FUTURO / CAPÍTULO 16 – A sua família: Como fortalecer a família: A SUA FAMÍLIA: Como construir a solidez familiar e um novo sentimento de família; Exprima-se claramente: tenha orgulho na sua família / TIPOS DE QUEIXAS / FÉRIAS: Excessos; Sugestões para planeamento prático; Sugestões; Fatias mais finas da mesma tarte; Sentir um nó no estômago; As suas novas férias e o “sentimento de família” / CAPÍTULO 17 – A sua rede familiar: Abrir a sua família a outros: Uma rede de conhecidos / AS BARREIRAS MAIS COMUNS AO ALARGAMENTO DA FAMÍLIA: Fazer tudo sozinho(a); Receio de incomodar os outros; O Sr. Certo e a Sra. Maravilha; Desânimo, o primeiro ano; As suas próprias necessidades e estilo pessoal / COMO COMEÇAR UMA FAMÍLIA ALARGADA E UMA REDE DE CONHECIDOS: Maneiras de começar famílias alargadas e redes de conhecidos; Tomar conta dos filhos de outras pessoas: como dar o que se recebe; Você hoje deu as boas vindas a uma criança? / QUANDO NÃO HÁ OUTRO PROGENITOR: Dirija as suas energias para incluir outros / CAPÍTULO 18 – Ser pai ou mãe à distância: Como se sentir próximo quando se está muito afastado fisicamente: MUDAR-SE OU NÃO PARA LONGE: A mudança para longe é a maior alteração imediata depois da separação; Mudar-se para longe traz mais lembranças; “Alivie” os seus sentimentos em segurança; Abrande o ritmo e desenvolva opções; Opções se linda e as crianças ficarem; Opções – mudança para longe; As crianças têm de saber quando vão voltar a ver o progenitor ausente; A educação dos filhos à distância é diferente de quando se vive mais perto; O progenitor do ano escolar; O progenitor do verão: comunicações – a chave / COMO SENTIR-SE PRÓXIMO(A) QUANDO VOCÊ ESTÁ LONGE: As diversas formas de correio; Correspondência e escolas; Os telefonemas: voice mail, beepers, gravadores de chamadas; A caixa “penso em ti”; Cassetes de vídeo e áudio; Partilhar projectos e acontecimentos a grande distância / PARTIDAS E REENCONTROS: Casa para o verão; A tensão física da viagem e do reencontro; Casa para o ano escolar; Seja paciente, seja compreensivo(a) / CAPÍTULO 19 – Quando um dos progenitores ausente regressa: Aspectos a considerar; A reentrada é complicada! / COMO AS CRIANÇAS SE SENTEM QUANDO PERDEM UM PROGENITOR: Abuso, negligência, violência; As crianças podem sentir-se abandonadas, culpadas, ressentidas, profundamente magoadas; Regressar implica normalmente dizer “desculpa”; Tornar-se novamente um progenitor activo; Um pequeno passo – informe-se da possibilidade de partilha de informações; Partilhar certas decisões; Rótulos sobre a guarda dos filhos; Reacções / O PREÇO DA REENTRADA – PARA AMBOS OS PAIS / QUANDO A REAPROXIMAÇÃO NÃO RESULTA: DOIS LARES COM AMIGOS E FAMILIARES: “Os sentimentos podem comê-lo(a) vivo(a)” / CAPÍTULO 20 – Seguir em frente: Recuos e avanços: A SEGUNDA VAGA: FLASHBACKS:”Até onde consegui eu chegar?”; Que coisas desencadeiam estas situações?; Uma coisa de cada vez ou todas ao mesmo tempo; Quanto tempo vai durar?; Tratamento para os flashbacks / VOLTAR A CASAR: VOCÊ OU O OUTRO PROGENITOR: Você volta a casar; O outro progenitor volta a casar; Guarda dos filhos e dinheiro; “Como devo tratar-te?”; Recriar as férias depois de voltar a casar; As linhas de orientação cardinais – revisão / UM DESFECHO DIFERENTE / MUDANÇA DA RESIDÊNCIA DO ANO ESCOLAR: “Não tenho mão nele, fica tu com ele”; Os adolescentes e os pais / O SEU LUGAR NA COMUNIDADE / FORMATURAS, CASAMENTOS E FESTAS FAMILIARES: Os outros estão dependentes das suas “deixas” / E OBRIGADO PELA LEMBRANÇA / 5ª PARTE – OBRAS DE CONSULTA E RECURSOSPARA PROFISSIONAIS / NOTAS DE CAPÍTULO / PREFÁCIO / 1ª PARTE: Capítulo 1. A construção de uma nova vida familiar; Capítulo 2. Acredite na sua família; Capítulo 3. A passagem de um para dois lares; Capítulo 4. Cuidado com a linguagem; Capítulo 5. O seu “capital humano” / 2ª PARTE: Capítulo 6. As emoções quando termina uma relação; Capítulo 7. A retirada da intimidade; Capítulo 8. A nova relação de tipo profissional; Capítulo 9. Casa da mãe, casa do pai; Capítulo 10. Os vossos filhos / 3ª PARTE: Capítulo 11. Os aspectos legais; Capítulo 12. Planos e acordos parentais; Capítulo 13. Como negociar os vossos próprios acordos; Capítulo 14. O plano parental a longo prazo; Capítulo 15. Mediação familiar / 4ª PARTE: Capítulo 16. A sua família; Capítulo 17. A sua rede familiar; Capítulo 18. Ser pai ou mãe à distância; Capítulo 19. Quando um dos progenitores ausente regressa; Capítulo 20. Seguir em frente / 5ª PARTE: Apêndice 1, 2 e 3; Apêndice 4; Apêndice 5; Apêndice 6; Apêndice 7; Apêndice 8 / BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR/APÊNDICE 1: INFORMAÇÃO PARA AS ESCOLAS (A SER ANUALMENTE ACTUALIZADA PELOS PAIS) / APÊNDICE 2: ADVOGADOS: Como encontrar um advogado competente; Questões a colocar por telefone; Questões a colocar no primeiro encontro formal / APÊNDICE 3: DINHEIRO – OS CUSTOS COM A EDUCAÇÃO DOS FILHOS: Fantasias sobre o dinheiro e o outro progenitor; Um quadro financeiro realista: um bom começo; Contabilidade das contribuições financeiras directas: para onde vai este dinheiro? / APÊNDICE 4: CONTRATOS PARTICULARES / APÊNDICE 5: MEDIAÇÃO DO ACORDO DE CONFIDENCIALIDADE / APÊNDICE 6: MEDIAÇÃO EM PORTUGAL APÊNDICE 7 :O QUE ACONTECE NA MEDIAÇÃO: A primeira reunião: a confirmação da razão da sua presença ali; Todas as reuniões: explorar detalhadamente as questões em que estão de acordo e desacordo; Atingir, escrever e rever os vossos acordos; Redigir o acordo parental e torná-lo “legal”; Implementação do acordado / APÊNDICE 8: UM GUIA PARA A ESCOLHA DE CUIDADOS INFANTIS: Para baby-sitters que virão para sua casa; Depois de ter feito a sua escolha.

Anúncios