Marinho Pinto diz que há juízes que deviam estar presos. O bastonário da Ordem dos Advogados reagiu, assim, às declarações do Presidente da Associação Sindical de Juízes Portugueses (ASJP), que criticou o pedido de afastamento de uma juíza por Isaltino Morais.

Recorde-se que o presidente da ASJP, António Martins, condenou o pedido de afastamento de uma juíza, feito por Isaltino Morais, afirmando que se trata de uma estratégia dilatória e acusado a Ordem dos Advogados de não sancionar este tipo de comportamento.

Agora, Marinho Pinto diz que alguns juízes deviam estar presos e que “os órgãos disciplinares da Ordem são independentes, cumprem o estatuto e têm prestigiado a justiça punindo os advogados que violam o estatuto da Ordem dos Advogados”, fazendo-o com “celeridade”.

 

António Marinho Pinto, citado pela TSF, alertou, ainda, que “os juízes é que não se punem uns aos outros” e que, “pelo contrário, todos os órgãos disciplinares atuam como se fossem órgãos sindicais que defendem sempre os magistrados, mesmo quando eles cometem as maiores enormidades, como parece ter sido o caso”.

O responsável disse, por fim, que “nunca houve em Portugal um juiz preso e bem”, porque os juízes são “completamente absolvidos pelos colegas”, e garantiu que ,“em Portugal, há familiares de juízes que assassinam pessoas e não vão para a cadeia”.

Este bastonario, faz-me recordar o Sr. Alberto João Jardim, por dizer tudo o que lhe vai na alma, e acho bem já para não dizer que como sabem o meu amigo e ex advogado Dr. Claudio Rio Mendes, foi assassinado pelo pai de uma juiza e ela conseguiu que o mandassem para prisão domiciliaria, e no processo de regularização do poder paternal pelo qual o Dr. Claudio lutava, não me surpreendia que ela tivesse mexido nos conhecimentos dela para que o processo se arrastasse. Pelos vistos o Dr. Marinho Pinto sabe do que fala e com razão.

Link da Noticia:

http://tvnet.sapo.pt/noticias/detalhes.php?id=69220

Anúncios