Infelizmente, esta historia acontece muito, não existe palavras, para o atentado que fazem seja feito pelas mães, como pelo estado, quando proibem ou limitam o acesso aos seus filhos, quer por mesmo visitas “controladas” pelos assistentes sociais, em algum dos casos até se podem justificarr, mas será mesmo assim? Já alguma vez alguém parou para pensar, o proque de muitos pais, mães, avós, desistirem das crianças, desistirem de os ver, de os abraçar?

Pelo motivo que cansam, que desgastam a força vital de quem passa pela situação, de se sentirem como D.Quixote a lutar contra os moinhos de vento que afinal são moinhos de uma vontade demagoga, em que as mulheres e algunns homens se acham no direito de anular o contacto com o outro progenitor.

E no final acabam por se afastar e aguardar que um dia, o filho queira procurar o pai, e ai tentar explicar-se. Não é o companheiro/a futuro da mãe ou pai, que tem qualquer direito sobre o filho de outra relação, são os pais!!!

Não me canso de dizer, na altura da concepção, gostaram de lá estar os 2, e em muitos dos casos, não foi pela vontade de 1 que a criança nasceu e foi concebida, foi porque ambos quiseram, e não se podem esquecer que é da responsabilidade de ambos, darem todo o amor e carinho ao filho e a educação que o vai ajudar pela vida fora. A familia, como conheciamos já praticamente não existe, mas se houver um pouco de tolerancia e respeito, a criança não necessita de sofrer com a separação ou de estar longe do pai/mãe.

Vejam o video e pensem:

Anúncios