Hoje é quarta, dia de ir buscar o meu pequeno principe e de brincar com ele, de lhe prestar todo o amor e carinho que merece, mas também é dia de correria, pois “Tempus Fugit”, pois ir busca-lo ao infantario, e brincar, dar-lhe banho e de jantar, até as 21 horas, hora em que tem de ser entregue a mãe, é pouco, para se conseguir fazer tudo, no entanto, tento, faço e quero que aconteça, para que ele saiba que é sempre amado pelo pai e que eu estou sempre aqui para ele e por ele.

Mas também é dia de tristeza, de o ter que entreguar a mãe e deixa-lo novamente sem atenção, que se diga é o normal no caso da mãe, ainda este inicio de semana, me contaram que o pai da filha do anterior relacionamento da mãe do meu filho, viu a filha dele, e que mal o viu gritou e correu a abraça-lo, chorando e soluçando e com vontade de ir com ele.

As crianças sabem bem quem os quer bem e de quem sentem falta, eu ajudei-a a criar, e tratei-a sempre como minha filha, ainda quando não tinha o meu filho, e tudo o que faço, é por ela também, pois gosto dela como minha filha, e fiquei muito feliz, por ela ter corrido para os braços do pai, pois os dois merecem ser felizes, juntos, pois ela precisa dele, como ele dela.

Da mãe, nem sombra, absteve-se de aparecer, mantendo-se afastada, no interior do carro dos amigos, mas mostrando desprezo pela segurança, das crianças, continuando a ignorar a utilização de cadeira para os poder transportar na viatura, mas os proprios amigos fazem isso com o filho deles, porque não também com o dos outros?

Acidentes acontecem e a estupidez das pessoas um dia pagam com a vida, o problema, é que é com a vida dos outros.

Ai, meu filho, logo, logo, nada mais interessa, só nós e o teu sorriso, mas um dia filho, um dia…estaras sempre ao meu lado, um dia…

Anúncios